07 novembro 2016

Esperemos cinco minutos, por toda eternidade


Qual a metade do infinito? Supondo a infinitude do tempo, sou levado a pensar que o presente instante divide o infinito passado do infinito futuro. Tenho o privilégio de constatar  o ponto médio do infinito e  também de testemunhá-lo consciente dessa raridade. Enquanto minha luz durar, pretendo emparelhar minha alma ao seu lado pelo tempo que conseguir. E há de chegar o tempo em que estarei cansado de mais e deixarei de correr para deitar e virar a mesma inexistência de antes pela mesma eternidade de sempre. Esperemos cinco minutos, por toda eternidade.

aforimosvisuais, susanocorreia, notasvisuais,
homem pensando profundamente sobre nada

3 comentários: