03 janeiro 2017

Um rato no porão dos meus olhos


Tomando cada vez mais distância do ponto de partida, e, de certa maneira, cada vez mais perto dele. Ser aquilo que se é é a única coisa que se pode ser. Se sou o que sinto e penso, entranhado em saber que sou, pela única via que é: ser. Absolutamente para mim fez-se o universo, para desfazer-se no dia em que eu morrer. Todas as histórias e todas as memórias, para mim. Para o meu amor, para o meu coração poder abrir caminho entre a luz e ver toda a beleza. Deus é a beleza fluindo em toda a subjetividade. Quantos céus infinitos em beleza para infinitos olhos igualmente belos. Que num segundo viu aquilo que agora não pode ser desvisto, e que nunca mais será visto exatamente igual. Mananciais de eternidade. Testemunhando sozinho as coisas como elas se apresentam, únicas para mim, para sempre. Quero ser varado pela beleza, que ela me atinja na velocidade da luz, maciça e implacável como a morte. Outro dia, um rato podre no porão me fez pensar: esse cheiro terrível dá o tom da morte, ou a morte quem dá o tom desse cheiro terrível? A beleza e a morte caminham de mãos dadas sob as estrelas numa praia que não pertence a lugar nenhum. Elas contemplam mudas o sabor da brisa e o som das ondas na noite. Absolutamente completas. São deusas, filhas de um deus ainda maior: o tempo. Elas fluem no tempo. Elas existem no tempo. E o tempo é uma praia  que não pertence a lugar nenhum. Borbulhemos a poesia que nasce da beleza que brinca com a morte, que se deita no tempo para contemplar as estrelas. Não há lugares, não há verdades, não há morte, só há o tempo. A morte inventa algumas histórias que o vento leva longe demais. Mas o tempo apaga. Ele é um pai severo. Ensinou-me que no porão dos meus olhos tinha um rato podre que falava da morte com beleza.

notasvisuais, aforismosvisuais, susano
homem caindo de si para si

2 comentários:

  1. Te sigo nas redes sociais há pouco tempo, mas digo segura que foi amor à primeira vista. Mergulho em outro universo quando vejo sua arte e agora lendo esse texto nem sei onde estou, só sei que não quero sair daqui. Muito obrigada por compartilhar esssa luz que você tem dentro do teu coração. Parabéns pelo trabalho incrível, estou apaixonada!

    ResponderExcluir
  2. Me fez refletir sobre algo antigo nas ultimas linhas. O que vai mais longe do que deveria ter ido e acaba alcançando o coração, não é para sempre. A mágoa, os minutos desgastam. A ruim ilusão de alguns amores, pode ser esquecida. O mal estar de saber que a vida é imensa e vasta, e você vai ser sempre pequeno.
    Isso passa. O tempo traz de volta o que as coisas ruins levaram. Só o que precisamos fazer é observar as estrelas enquanto esperamos.

    ResponderExcluir