10 março 2017

Pior do que não ter asas é ter apenas uma

Meu corpo, que me leva, um pouco por vontade, outro pouco por vontade de achar que me leva. Quando tudo é contingência. Quando, na realidade brotam sonhos que enveredam os meus atos, que enchem os meus olhos, que ramificam os fatos. Eu tenho olhos para amar. E tenho um coração que é como um fígado para o amor. Eu escolho não mais sofrer, supondo que tenha escolha. E vem de lá pra cá uma falta de escolha que me vara como flecha. Faço dela um poema, um desenho, qualquer coisa. Outro dia olhei para o céu escuro e fiquei aterrorizado. É um abismo terrível, pensei. Eu sentia que podia cair para o céu. Cair para o céu, para sempre! Mas, cair para o céu? Então eu sentia que podia voar, e estava tudo bem. O medo é só um jeito viciado de olhar, pensei. E viciei em desatar medos. E tive medo de não mais ter medos. E esse medo me salvou. Pior do que não ter asas é ter apenas uma, pensei. Bem no topo de mim de onde tudo vejo como um ciclope. E por trás desse olho penso que penso que penso que penso que penso que penso que penso... Numa dízima periódica. Chegando ela a fazer uma parábola suave e elegante rumo à escuridão de mim mesmo. Donde tudo chega e parte. Donde as lágrimas já não têm força para sair. Donde sou. Mistério! Mas o mundo é o que me importa de verdade. A beleza em suas formas. A beleza da beleza. O mundo que me enche, ao passo que eu também o encho. Pessoas espirituosas, como eu as amo! Vocês são por si só uma razão para existir. Lindos! Tudo o que consegue cruzar a longa parábola, para dentro ou para fora, vale a pena. Tudo o que tem força. Que seja para amar ou para doer. Esse arco cujas pontas não se veem. Do mundo para mim, entre mim e o mundo. Mas é sempre só eu, absolutamente só. O mundo são sensações que não passam de preconceitos. Ó clausura! Ó mistério! Quanto silêncio. Quero gritar o mais alto que puder para quem sabe ecoar.


notasvisuais, susano correia, aforismosvisuais, arte, embruxados
homem sob seus próprios escombros

4 comentários:

  1. Imaginar o que está escrito aí tem um estranho efeito! Acho que é identificação...
    Suas produções são incríveis!

    ResponderExcluir
  2. Sem palavras, simplesmente incrivel

    ResponderExcluir
  3. Cara, você é demais. Realmente, não há palavras para definir o que você cria, pois você consegue colocar todas em sua arte. Você consegue colocar todas interpretações em um única imagem, isso é mais do que arte.

    ResponderExcluir
  4. Acho que só tenho uma asa.

    ResponderExcluir